MENU

Comer carne na Quaresma, pode ou não pode?

Muita gente tem dúvida se deve ou não se abster de carne vermelha durante o período da Quaresma, e é questionamento louvável, pois significa que tal pessoa se importa com abstinência e está disposta a viver o tempo quaresmal da melhor maneira possível. Cabe aos formadores e catequistas dispor de conteúdo para indicar a solução de dúvidas como esta. E o que dispomos hoje é o Código de Direito Canônico, e a Suma Teológica de Santo Tomás de Aquino, e alguns outros textos de apoio.

Por que carne?

“Todos os atletas se impõem a si muitas privações; e o fazem para alcançar uma coroa corruptível. Nós o fazemos por uma coroa incorruptível.” Assim diz São Paulo na I Carta ao Corintios, capítulo 9, versículo 25. E é algo que devemos entender antes de seguir, pois se os atletas renunciam a tantas coisas por prêmios corruptíveis, por que nós não podemos renunciar também por um prêmio eterno? São Paulo usa um exemplo bem prático, de fácil entendimento por parte de qualquer pessoa.

Mas por que nos devemos abster de carne?

Esta pegunta tem uma resposta espiritual, que é apresentada por Santo Tomás de Aquino na segunda parte da Suma Teológica, na questão 147, artigo 8º. Que diz que “a Igreja estabelece o jejum para conter a concupiscência da carne”, e afirma que alimentos como carne vermelha contribuem para a excitação dos prazeres sexuais e da luxúria. Além de nos darem prazer ao comer. Estes são os dois principais motivos segundo Santo Tomás, o prazer em come-la e por nos darem energia para buscar mais prazeres da carne.

Há um sentido cultural, que seria o fato de a carne vermelha se fazer presente nos grandes banquetes medievais, principalmente entre os mais ricos. Banquetes que excitavam a gula e a luxúria, que aconteciam comumente na sexta-feira, dia em que a Igreja desde os primeiros séculos guarda em jejum.

Pode ou não pode?

O Código de Direito Canônico trata dessa questão do cânon 1249 ao 1253, e é bem claro a respeitos dos jejuns e abstinências. O cânon 1250 diz que os tempos de penitência são, para toda a Igreja, todas as sextas-feiras do ano e o tempo de quaresma. Mas veja bem, tempos de penitência, as penitências não são definidas, ficando ao gosto e piedade de cada cristão.

A cânon seguinte, o 1251, fala da observação de abstinência de carne na Quarta das Cinzas e em todas as sextas-feiras do ano, exceto quando solenidades caem em dia de sexta-feira. Um exemplo, quando a Solenidade de Natal cai em dia de sexta-feira, não é necessário que se faça abstinência, e é até bom que não se faça, pois é festa.

Vale reforçar que a não observância da abstinência na Quarta das Cinzas e nas sextas-feiras, conforme citado à cima, é pecado grave, conforme decreto do Papa Inocêncio III no século XIII.

Concluindo

Portanto podemos concluir que podemos sim comer carne durante a quaresma, que fica a critério de cada um, mas que devemos fazer penitência durante os quarenta dias, fazer obras de misericórdia e de piedade. Para que assim possamos nos preparar para a grande celebração da Páscoa do Senhor.

Concluímos também que devemos nos abster de carne em todas as sextas-feiras do ano, incluindo a quaresma e o período entre a páscoa e pentecostes, enfim todo o ano, exceto solenidades.


Código de Direito Canônico – Janeiro de 1983
Suma Teológica: Segunda sección de la segunda parte – Santo Tomás de Aquino (1225-1274), Doctor de la Iglesia Católica

Leave a Comment!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *